Brasil

Brasil
Brasil

3 de jul de 2008

Protesto contra homofobia reúne mais de 20 mil pessoas em Brasília

Um protesto contra o preconceito tomou conta de Brasília. O motivo foi a punição do casal de sargentos homossexuais. Segundo o Exército, os dois processos são por desrespeito ao Código Militar.
Em solidariedade aos sargentos, foi grande o número de pessoas que participaram da 11ª Parada Gay de Brasília. A marcha pediu ainda respeito aos direitos dos homossexuais. Segundo a Polícia Militar, 22 mil pessoas participaram da Parada.
Em uma das principais avenidas de Brasília, houve uma festa diferente. Na Parada Gay deste domingo, o protesto era contra o Exército, em demonstração de solidariedade ao casal que assumiu publicamente um caso homossexual nas Forças Armadas.
Fernando Alcântara, ex-segundo sargento, chegou a ficar oito dias preso. Ele foi acusado de deserção quando viajou para São Paulo sem autorização e se apresentou em público mal uniformizado, como alegou o Exército. A acusação fez com que ele pedisse baixa, abandonando a vida militar.
“Eu cheguei num limite. Todo ser humano tem um limite. O meu ideal era permanecer e provar que, independentemente da minha orientação sexual, sou um bom profissional”, disse o ex-sargento Fernando Alcântara.
O companheiro de Fernando, o sargento Laci Marinho, também responde processo na Justiça Militar por deserção. Laci Marinho está preso na cadeia da Polícia do Exército.
A defesa alega que ele não pode trabalhar, porque sofre de problemas neurológicos. Por isso, pediu que aguardasse o julgamento em liberdade.
A juíza determinou que uma junta médica civil avalie o quadro de saúde do sargento. O Exército afirma que não há perseguição e que os dois processos ocorreram por desrespeito ao Código Militar.
Fonte: Jornal Bom Dia Brasil, RG





Postar um comentário