Brasil

Brasil
Brasil

22 de nov de 2007

A crise do gás.

Jornal Bom Dia Brasil
Rede Globo

Outra preocupação é a possibilidade de uma nova crise no abastecimento de gás. O alerta é da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). A agência aponta risco de falta de gás para o consumidor e para as indústrias, mas não para as termelétricas.
A lei determina que o gás que chega ao Brasil tem que suprir primeiramente as necessidades energéticas. O Operador Nacional do Sistema quer mudar a margem de risco. Não esperar que os reservatórios baixem tanto. A Petrobras não quis comentar o alerta da Agência Nacional de Energia Elétrica.
O governo nega que esteja faltando gás. Não é bem assim, diz a Aneel. De acordo com a agência, a partir de janeiro o abastecimento corre risco. A agência informou que o nível dos reservatórios de água das usinas hidrelétricas está em torno de 52%, o que é pouco e sobe muito devagar. Se não chegar a 61% até 1º de janeiro, as usinas termoelétricas a gás e a óleo terão que ser acionadas para garantir o fornecimento de energia.
No final de outubro, a Petrobras reduziu o fornecimento do combustível para as empresas fornecedoras de gás. As indústrias e os donos de carros movidos a gás no Rio de Janeiro e em São Paulo foram surpreendidos.
Como a Petrobras é obrigada, por contrato, a fornecer gás para as termoelétricas, o abastecimento para as indústrias e automóveis pode ser prejudicado. A Aneel diz que fez um alerta preventivo para dar tempo à Petrobras encontrar alternativas. No caso das indústrias, uma possibilidade é fornecer o óleo diesel.
Os empresários brasileiros também estão em alerta. Com a economia em expansão, aumenta a necessidade por energia, e a que vem das termelétricas é mais cara.

Nenhum comentário: